2 de jan de 2011

A VOZ

A voz é uma das expressões mais ricas do ser humano e revela aspectos de nossa natureza biológica, psicológica e sócio-educacional. Iniciamos nossa vida com um choro, o chamado choro ao nascimento que, de modo bastante interessante é uma produção afinada nos bebês normais, ao redor de 440 Hz, exatamente a freqüência do Lá do diapasão de afinação de coros. Esta emissão é um sinal de sobrevivência e da capacidade de respirar e estar no mundo exterior. Ao longo de nossa vida vamos desenvolvendo uma voz que é única e nos identifica de modo particular. Esta voz é o resultado de nossa vida emocional e recebe influências de nossa história familiar, cultural, social e emocional.

Por outro lado, o canto acompanha o homem desde os primórdios da civilização. Cantar significa emitir sons modulados seqüenciais, porém, sabemos que a dimensão do canto supera qualquer explicação fisiológica sobre a produção do gesto vocal.

O homem primitivo cantava para expressar as emoções, acompanhar os inimigos e acalmar a ira dos deuses. O homem moderno continua cantando, sozinho em casa, acompanhando o rádio no trânsito ou reunindo-se em corais. Todas as modalidades e estilos de canto sobrevivem até hoje, apesar dos tempos conturbados em que vivemos. Dos corais municipais aos corais religiosos, amadores ou profissionais, infantis ou da terceira idade, cantar ainda significa muito para as pessoas! Porém, ao contrário da voz falada, que é o resultado de nossa vida emocional, a voz cantada é o resultado do treino, pois pressupõe o controle de uma série de estruturas para se conseguir a qualidade vocal almejada. Para algumas pessoas cantar é quase natural e a afinação é nata, um dom; para outros, um trabalho de percepção auditiva e musical que deve ser cuidadosamente desenvolvido, antes de se conseguir uma boa emissão.

Terminamos nossa existência no chamado último suspiro e nossa vida é permeada por “muitas vozes”. Toda e qualquer tentativa de se desenvolver a voz é bem-vinda, pois cantar é um dos atos mais humanos que existe e cantar em grupo desenvolve a solidariedade, o respeito entre os homens e a sensação de não estarmos sozinhos no mundo.

Mara Behlau

Ph.D., Diretora do Centro do Estudo da Voz, Presidente da
Sociedade Brasileira de Laringologia e Voz, Vice-presidente da
Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

6 de out de 2010

Vamos ajudar as Casas André Luiz!

Informações sobre o Jantar Iluminado em http://www.casasandreluiz.org.br/noticias.php?tipo=0&id=418





Ajude a reconstruir o Centro Espírita Nosso Lar Casas André Luiz

A Unidade Hospitalar do Centro Espírita Nosso Lar Casas André Luiz, localizada em Guarulhos, na Grande São Paulo, foi atingida por uma forte chuva de granizo na tarde do dia 21 de setembro, que ocasionou muitos estragos por toda a cidade.

A enorme quantidade de granizo atingiu as Casas André Luiz  em todos os setores causando estragos de enormes proporções e prejuízos incalculáveis.

Para doações em espécie - Banco Bradesco:Centro Espírita Nosso Lar Casas André Luiz
Agência: 3397-9
Conta Corrente: 17020-8
CNPJ para Docs: 62.220.637/0001-40

Material necessário com urgência:

Telhas metálicas, mínimo 05 milímetros, cimento, tinta, piso emborrachado; 
serviço voluntário especializado em pintura, telhados, construção e parte elétrica.

Informações: (11) 2457-7733



As crianças das Casas André Luiz foram removidas para outras unidades já durante a tarde, trabalho que prosseguiu até tarde da noite, isto porque o telhado de uma de suas 04 unidades foi destruído por causa do enorme volume da água que jorrava do teto.


Logo na sequência do fenômeno os funcionários que estavam presentes foram providenciando a colocação de lonas, visto que as pedras de granizo - algumas do tamanho de uma laranja – causaram a quebra de telhas e em muitos setores a queda até mesmo do teto.





Os carros que estavam estacionados no local foram muito danificados deixando enormes marcas na lataria, além de quebra dos vidros dianteiros e traseiros de vários carros de funcionários. Doze carros funcionais das Casas André Luiz foram atingidos o que prejudica muito seriamente as atividades.

Às 09h00 da manhâ ainda podia-se ver a remoção das camadas de gelo que cobriam a frente do Complexo de 70.000m2. Ao chegarem para trabalhar os funcionários ficaram muito impressionados com água que ainda escorria do teto e pelas luminárias, e pela destruição causada. Cerca de 70% dos 21.000 metros do teto de todo o complexo foi destruído total ou parcialmente.

Setores como o de Contabilidade, informática, qualidade, secretaria, jurídico, creche tiveram o telhado e o teto totalmente destruídos atingindo computadores, arquivos, mesas e demais equipamentos.

Já pela manhã e prosseguindo durante todo o dia, os funcionários e voluntários presentes, respiraram fundo, arregaçaram as mangas e começaram a remoção de todos os móveis, utensílios e equipamentos para outros setores que foram improvisados.

O transmissor (da Rádio Boa Nova) foi parcialmente destruído - e preventivamente desligado para evitar maiores prejuízos - o que deixou a rádio fora do ar desde o final da tarde desta terça-feira, havendo transmissão apenas pela parabólica digital, TV e internet, até que haja limpeza e melhor avaliação dos danos causados.

A creche onde os pais deixam seus filhos durante a jornada de trabalho teve 02 salas totalmente destruídas, apresentando rachaduras em muitas outras, além de perder todo o laboratório de informática que ficou sob a água da chuva.

A reserva de água que é necessária diariamente está seriamente prejudicada. Da mesma forma o setor que utiliza oxigênio para manter equipamentos médicos funcionando.http://www.casasandreluiz.org.br/noticias.php?tipo=0&id=418

20 de fev de 2010

2010

O ano começou mais cedo para o coral!

Praticamente não houve férias, posto que tivemos uma apresentação na semana de aniversário do CE "Nosso Lar" - Casas "André Luiz", para a qual nos preparamos durante o mês de janeiro. Dia 28/01/2010 foram completados 61 anos de fundação da casa, e nessa data o coral se apresentou. 

(Fotos em breve)

29 de nov de 2009

Festa de Encerramento 2008








2006 - Viola minha viola

Esse é um dos poucos momentos totalmente registrados de nosso coral. Foi uma apresentação pequena, apenas duas músicas (Majestade O Sabiá e Asa Branca), mas que teve a participação unânime e entusiasmada de todos os integrantes.


Dentro do ônibus
Dona Walkyria e Maestro Gabriel




Dentro do ônibus

Nos bastidores
Dona Walkyria, Inezita Barroso e Ana Maria
alkyria, Inezita Barroso e Ana Maria

Ensaiando




Gravando


22 de jun de 2009

FÉRIAS

Durante o mês de JULHO estaremos em férias.

Apresentação 27/06/2009 - 19h30

 

 

No próximo sábado nos apresentaremos na abertura do Encontro com a Cultura Espírita "Significado do Tabor - Além da Transfiguração", com José Maria Medeiros.

Repertório:

HERE, THERE AND EVERYWHERE

ALÉM DO ARCO-ÍRIS

CIO DA TERRA

CORO DOS ESCRAVOS HEBREUS

AVE MARIA

No dia seguinte a palestra será apresentada em Vila Galvão, e a abertura ficará a cargo de nossa tecldista, Teresinha Fanelli.

Coral: Dia 27 de Junho, a partir das 19h30, no Salão de Reunião Pública, na Unidade Doutrinária de Santana.
Rua Duarte de Azevedo, 691 – Santana

Teresinha/Teclado: Dia 28 de Junho, a partir das 18h, no Salão de Reunião Pública, na Unidade Doutrinária de Vila Galvão.

http://www.nossolar.org.br/eventos2.php

18 de mai de 2009

Giuseppe Verdi e Arrigo Boito

Verdi e a Unidade Italiana

Num pesado dia do inverno de Milão, o 27 de janeiro de 1901, uma multidão saiu às ruas para prestar uma da mais belas e espontâneas homenagens ao maior compositor italiano de todos os tempos. Giuseppe Verdi morrera aos 87 anos. Com lágrimas nos olhos, naquela data infeliz, milhares de pessoas sentindo-se na orfandade, vendo o féretro desfilar, cantaram em coro uma das suas mais celebradas passagens: Va, pensiero. Com ele sepultou-se também uma das mais comoventes e heróicas páginas da história da Itália moderna.

Va pensiero, Hino da Unificação

Depois de alguns fracassos iniciais como compositor, acompanhadas de situações de aviltada pobreza (em dois meses perdeu a mulher e dois filhos pequenos) , a partir de 1839, o jovem ex-organista e maestro di cappella da aldeia de Roncoli di Busseto, conseguiu afirmar-se como regente no famoso Teatro La Scala de Milão onde pulsava um intenso sentimento pró-independência. A Lombardia, província italiana do império austro-húngaro, aspirava à liberdade. Eis que o sinal da futura insurreição dos italianos foi dado por umas poucas estrofes inspiradas no Velho Testamento, a que narra os sofrimentos do povo judeu durante o cativeiro da Babilônia (um curto, sentimental e poético trecho que o povo consagrou como Va , pensiero!) Verdi disse, bem depois do sucesso alcançado, que fôra por puro acaso que vira aqueles versos. Ao ter deixado cair o libreto Nabuchodonosor de Solera, seu autor, sobre uma mesa, ele abrira-se justamente na passagem do Coro dos Hebreus, cujo saudoso e belo lamento tocou tão fundo os italianos (e por todos aqueles que, pelo mundo a fora, sentiam sua pátria espezinhada) .

A "Marselhesa" dos Italianos

Houve desde o princípio uma imediata associação entre as desgraças dos judeus no Eufrates ( escravizados pelo rei Nabucodonossor da Babilônia) , com os que a maioria dos italianos sofria naquele momento. No dia da estréia da ópera Nabucco, o 9 de março de 1842, mal o coro ter encerrado o último verso (IIIª Parte, cena IV), no qual os prisioneiros pediam inspiração para resistir com coragem as aflições, a Itália sentiu que ali nascia uma versão muito própria, totalmente sua, da "Marselhesa" . Desde então Va, pensiero,... consagrou-se como o hino da unificação italiana, enquanto o nome de Verdi circulou entre os patriotas como um anagrama (Vittorio Emmanuel Rè d'Italia). A meta unitária afinal somente atingiu êxito dezenove anos depois, em 1861, quando o rei Vitório Emanuel II do Piemonte foi proclamado rei da Itália (Roma somente integrou-se a ele em 1871, depois da retirada das tropas francesas que protegiam o papa).

http://educaterra.terra.com.br/voltaire/artigos/verdi2.htm

Arrigo Boito

Arrigo Boito (Pádua, 4 de fevereiro de 1842 – Milão, 10 de junho de 1918), foi um poeta, escritor, libretista e refinado compositor italiano.

Filho de Camillo Boito, um arquiteto, crítico de arte e escritor, com a condessa Józefa Radolinska, Boito realizou seus estudos fundamentais em Veneza e, posteriormente, estudou violino, piano e composição no Conservatório de Milão, a partir de 1854. Já nesta época demonstrava grande aptidão musical bem como poética, realizando suas primeiras composições, tais como a cantata Il quattro giugno (1860) e Le sorelle d'Italia (1861), elaborando tanto a parte lírica quanto a melódica.

Ao término de seus estudos no mesmo ano de 1861, obtem uma bolsa e parte com seu colega de conservatório Franco Faccio para Paris, onde entra em contato com os compositores Gioacchino Rossini, Hector Berlioz e Giuseppe Verdi.

De volta a Milão, depois de um período em que viveu trabalhando em diferentes ofícios, escreveu em 1862 a letra do "Hino da Nação", posteriormente musicada por Verdi. No mesmo ano, parte em viagem para a Polônia, terra natal de sua mãe, onde escreve seu primeiro libreto, Amleto, baseado em "Hamlet", de William Shakespeare, posteriormente musicado por Faccio.

Em resumo: Boito fez o texto, e Verdi musicou o famoso “Va pensiero”!

“Va pensiero” – tradução

Ópera "Nabuco" (1842)

Parte Terza (Cena IV)

Le sponde dell'Eufrate

Ebrei incatenati e costretti al lavoro.

...

...

(Na margem do Eufrates)

(Hebreus agrilhoados constrangidos ao trabalho)

EBREI:
Va', pensiero, sull'ale dorate;
va', ti posa sui clivi, sui colli,
ove olezzano tepide e molli
l'aure dolci del

suolo natal!
Del Giordano le rive saluta,
di Sïonne le torri atterrate...
Oh mia patria sì bella e perduta!
Oh membranza sì cara e fatal!
Arpa d'or dei fatidici vati,
perché muta dal salice pendi?
Le memorie nel petto raccendi,
ci favella del tempo che fu!
O simìle di Sòlima ai fati
traggi un suono di crudo lamento,
o t'ispiri il Signore un concento
che ne infonda al patire virtù!

Hebreus:
Vai, pensamento, em asas douradas,
vai, pousa sobre as colinas e montes
onde sopram as doces brisas,
a quente e leve fragrância da nossa

terra natal
Do Jordão, das saúdas margens
e das desoladas torres de Sião
Oh pátria minha tão bela e perdida
Oh lembrança tão querida e fatal
Harpas de ouro dos fatídicos lamentos
porque pendem mudas nos salgueiros?
A memória no peito revive
a qual fala de um tempo que se foi
Cada um como Sodoma nos fados
lança um som de profundo lamento,

que o Senhor te inspire uma canção
que insufle coragem no padecer)

Blogger: CORAL ANDRÉ LUIZ - Criar postagem

19 de abr de 2009

.::ENCONTRO COM A CULTURA ESPÍRITA















No próximo dia 25/4, o Coral André Luiz se apresentará na abertura do Encontro com a Cultura Espírita, às 19h30.

Repertório:


Glória a Kardec - John Phillip Souza/Manoel de Abreu/Psicografia de Jorge Rizzini;
Oração de São Francisco;
André Luiz - D. Langes;
Canção do Exílio - G. de Almeida/Villa-Lobos;
Planeta Água - Guilherme Arantes;
Ave Maria - Bach/Gounod.


O Encontro com a Cultura de Abril terá a presença do Dr. Alexander Moreira Almeida, que abordará um intrigante tema: Kardec e a elaboração da Ciência Espírita.

Um estudo apresentado em congresso na Inglaterra sobre o método de pesquisa de Kardec na elaboração do Espiritismo.
Participe!

Dia 25 de Abril a partir das 19h30, na Unidade Doutrinária de Santana

R. Duarte de Azevedo, 691 - Santana - 11-2973-6579/80
______________________________________________________________
Alexander Moreira de Almeida é médico e doutor em psiquiatria pela USP – Universidade de São Paulo, coordenador do NEPER – Núcleo de Estudos de Problemas Espirituais e Religiosos do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Defensor de várias teses sobre a Mediunidade, Espiritualidade e Ciência em Universidades brasileiras e estrangeiras.

16 de fev de 2009

2009 - Inscrições Abertas

Olá!

Reiniciamos nossos ensaios agora em fevereiro, e muito animados, com convites para apresentações já no início do ano.

Os ensaios continuam no mesmo dia e horário [Domingos - 16h às 18h]

A novidade, é que devido ao interesse do grupo em entender melhor as partituras, nossas ferramentas de trabalho, combinamos de estudar rítmica no final dos ensaios, até 18h30.

2 de jan de 2009

Repertório 2009

Precisamos renovar nosso repertório para o próximo ano, sugestões serão bem-vindas e analisaremos sua viabilidade.


Algumas idéias já em amadurecimento, e com arranjos:

1) Planeta Água - Guilherme Arantes;
2) Caçador de Mim - Milton Nascimento;
3) Canção da América - Milton Nascimento;
4) Cio da Terra - Milton Nascimento;
5) Aquarela - Toquinho;
6) Trenzinho Caipira - Villa-Lobos;
7) Canto do povo de algum lugar - Caetano Veloso;
8) Cantata para Meimei - Moacyr Camargo;
9) O Sal da Terra - Beto Guedes;
10) What a wonderful world - Louis Armstrong;
11) Cânones;
12) Estão voltando as flores - Lamartine Babo;
13) Sementes do Amanhã - Gonzaguinha;
14) My way -
15) Imagine - John Lennon

11 de nov de 2008

II Encontro de Corais do CENL-CAL

Neste sábado o Centro Espírita "Nosso Lar" - Casas "André Luiz" realizou seu II Encontro de Corais, com muita alegria e música de qualidade. A novidade deste ano foi a participação especial da Orquestra de Violões Souza Lima, que abriu o evento.
Em seguida se apresentaram os corais André Luiz, Cia de Música Maria Amélia e CUCA (coral da PUC-SP).

ORQUESTRA DE VIOLÕES SOUZA LIMA
Regente: Luiz Stelzer
Solista: Marisa Brito



ORQUESTRA DE VIOLÕES SOUZA LIMA
Regente: Luiz Stelzer
Solista: Marisa Brito







CORAL ANDRÉ LUIZ
Regente: Carin Ottoni
Tecladista: Teresinha Fanelli


CIA DE MÚSICA MARIA AMÉLIA
Regente: Mauricio Gonçalves
Violão: Nailson


















CUCA - PUC-SP
Regente: Renato Teixeira Lopes
Preparador Vocal: Paulo Menegon

Visita ao Asilo Simão Pedro



Estas fotos foram tiradas durante a apresentação do coral no asilo Simão Pedro, na Vila Mazzei, zona norte de São Paulo, no dia 24 de agosto de 2008.

Foram momentos alegres, em que pudemos levar música, atenção e alegria às senhoras que ali moram. Todas muito tranqüilas e bem-humoradas. Saímos de lá satisfeitos por cantar e visitar pessoas especiais.

13 de jul de 2008

Próxima visita e apresentação

Estamos de férias, mas dia 03 de agosto retomamos nossos ensaios com força total, pois dia 24/08 visitaremos mais um asilo, levando alegria e conforto através da música, a pessoas muito especiais.

Desta vez visitaremos o Asilo "Simão Pedro", na Vila Mazzei, zona norte de São Paulo.

13 de jun de 2008

Visita ao Abrigo Dr. Adolfo Bezerra de Menezes

No domingo, dia 08 de junho de 2008, o Coral André Luiz fez uma pequena apresentação no Abrigo da Velhice Desamparada, da Associação Espírita Beneficente "Dr. Adolfo Bezerra de Menezes, no bairro da Penha, em São Paulo.

Mais do que apresentar-se os integrantes do coral tinham o objetivo de visitar os idosos ali residentes, dando-lhes um pouco de carinho e atenção. Tivemos uma tarde muito boa e aconchegante. Todas as peças apresentadas pelo coral foram muito aplaudidas e resultaram em inúmeros sorrisos em rostos normalmente sérios. Antes e depois da apresentação, houve muita confraternização entre todos. Como alguns internos não saem dos dormitórios, devido à suas limitações, um grupo de integrantes do coral foi até eles, com violão, cantar e levar carinho a essas pessoas.

Clique nas fotos para ampliá-las!





















Em agosto teremos outra visita.

Até lá!

24 de abr de 2008

Encontro de Corais - 08/11/2008

No dia 8 de novembro de 2008 teremos o 2º Encontro de Corais no Centro Espírita "Nosso Lar" - Casas "André Luiz".



Participantes e repertório (em breve)

Orquestra de Violões Souza Lima


Cia de Música Maria Amélia


Coral da PUC


Coral André Luiz

8 de abr de 2008

O mundo das artes: Arte e espiritualidade

“A Arte bem compreendida é poderoso meio de elevação e renovação. É a fonte das mais puras alegrias; ela embeleza a vida, sustenta e consola nas provas. Quando ela é sustentada, inspirada por uma fé sincera, por um nobre ideal, a arte é sempre uma fonte fecunda de instrução, um meio incomparável de civilização e aperfeiçoamento”. (O Espiritismo na Arte – Léon Denis)


“Assim como a Arte Cristã sucedeu a Arte Pagã, transformando-a, a Arte Espírita será o complemento e a transformação da Arte Cristã. O Espiritismo, efetivamente, nos mostra o porvir sob uma luz nova e mais ao nosso alcance. Por ele, a felicidade está mais perto de nós, está ao nosso lado, nos Espíritos que nos cercam e que jamais deixaram de estar em relação conosco”. (Obras Póstumas – Allan Kardec)


“A Arte foi definida cem mil vezes: é o belo, o verdadeiro, o bem. A Música, que é um dos ramos da Arte, está inteiramente no domínio da sensação. A sensação se produz no homem quando este compreende a Arte de duas maneiras distintas, mas estreitamente ligadas; a sensação do pensamento que tem por conclusão a Filosofia e, depois, a sensação que pertence toda ao coração”. (Revista Espírita/1861 – Lamennais)


“A Música exerce salutar influência sobre a alma e a alma que a concebe também exerce influência sobre a Música. A alma virtuosa, que nutre a paixão do bem, do belo, do grandioso e que adquiriu harmonia, produzirá obras-primas capazes de penetrar as mais endurecidas almas e de comovê-las”. (Obras Póstumas – Allan Kardec)


“Que é arte? – A arte pura é a mais elevada contemplação espiritual por parte das criaturas. Ela significa a mais profunda exteriorização do ideal, a divina manifestação desse “mais além” que polariza as esperanças da alma”. (O Consolador – Emmanuel)


“A Música, melhor do que a palavra, representa o movimento, que é uma das leis da vida; por isso ela é a própria voz do mundo”. (O Espiritismo na Arte – Léon Denis)

“Quando dizemos que a Arte Espírita será um dia uma arte nova, queremos dizer que as idéias e as crenças espíritas darão às produções do gênio um cunho particular, como ocorreu com as idéias e crenças cristãs”. (Revista Espírita/1860 – Allan Kardec)


“O surgimento da Dramaturgia Espírita ocorreu em 09 de fevereiro de 1897, com a representação, pela primeira vez, na Capital francesa (Théâtre de la Renaissance), da peça Spiritisme, de Victorien Sardou, que foi amigo pessoal de Kardec”. (Reformador/1991)


“De modo geral, todos os homens terão de buscar os valores artísticos para a personalidade? – Sim; através de suas vidas numerosas a alma humana buscará a aquisição desses patrimônios, porquanto é justo que as criaturas terrenas possam levar da sua escola de provações e de burilamento, que é o planeta, todas as experiências e valores, suscetíveis de serem encontrados nas lutas da esfera material”. (O Consolador – Emmanuel)


“Os grandes músicos terrestres podem, como os outros artistas, receber a inspiração, seja do espaço, seja como resultante de trabalhos anteriores. Trata-se exatamente do mesmo fenômeno que se produz com os outros artistas”. (O Espiritismo na Arte – Léon Denis)


“A Arte deve ser o belo criando o bom. O trabalho artístico que trai a natureza nega a si próprio. A Arte enobrecida estende o poder do amor”. (André Luiz)


“As palavras do poeta correram sobre esta assembléia como um sopro sonoro. Fizeram os Espíritos estremecerem; evocaram minh´alma, que ainda flutua incerta no éter infinito”. (Revista Espírita/1865 – Allan Kardec)


“A inspiração apresenta-se sob duas formas: uma pessoal, e outra mais ampla, transmitida pelos espíritos elevados, que retiram para a arte elementos das mais puras fontes e comunicam seus efeitos a um ser que os põe em obra por seus meios próprios e naturais”. (O Espiritismo na Arte – Léon Denis)


“Pode alguém fazer-se artista tão só pela educação especializada em uma existência? – A perfeição técnica, individual de um artista, bem como as suas mais notáveis características, não constituem a resultante das atividades de uma vida, mas de experiências seculares na Terra e na esfera espiritual, porquanto o gênio, em qualquer sentido, nas manifestações artísticas mais diversas, é a síntese profunda de vidas numerosas, em que a perseverança e o esforço se casaram para as mais brilhantes florações da espontaneidade”. (O Consolador – Emmanuel).


“O gênio construtivo expressa superioridade espiritual com livre trânsito entre as fontes sublimes da vida. Ninguém cria sem ver, ouvir ou sentir, e os artistas de superior mentalidade costumavam ver, ouvir e sentir as realizações mais altas do caminho para Deus”. (Os Mensageiros – André Luiz).


“Na Terra é através do pensamento, escrito ou oral, que se comunica a fé e que instruem os homens. No espaço, porém dizem-nos nossos guias, a música é a expressão sublime do pensamento divino”. (O Espiritismo na Arte – Léon Denis)

“O Espiritismo abre a Arte um campo novo, imenso e inexplorado. E quando o artista trabalhar com convicção, como trabalharam os artistas cristãos, colherá nessa fonte as mais sublimes inspirações”. (Revista Espírita/1860 – Allan Kardec)


“De modo geral, todos os homens terão de buscar os valores artísticos para a personalidade? – Sim; através de suas vidas numerosas a alma humana buscará a aquisição desses patrimônios, porquanto é justo que as criaturas terrenas possam levar da sua escola de provações e de burilamento, que é o planeta, todas as experiências e valores, suscetíveis de serem encontrados nas lutas da esfera material”. (O Consolador – Emmanuel)


“A Música, a meu ver, é a Arte que vai mais diretamente ao coração. A sensação compreendeis-me, está toda no coração; a Pintura, a Arquitetura, a Escultura, a Pintura antes de tudo, atingem muito mais a sensação cerebral. Numa palavra, a Música vai do coração ao espírito; a Pintura, do pensamento ao coração. A exaltação religiosa criou o órgão. Na Terra, quando a poesia toca o órgão, os anjos do céu lhe respondem. Assim, a música séria, religiosa, eleva a alma e os pensamentos”. (Revista Espírita/1861 – Lamennais)


“A poesia não é senão apenas uma forma da música. Ela é submetida às mesmas leis do ritmo, da vibração, que são as leis da vida em seus estados superiores”. (O Espiritismo na Arte – Léon Denis)

31 de mar de 2008

Repertório

O repertório do Coral André Luiz é variado e compõe-se de música brasileira, internacional, erudita, popular, sacra e espírita.

Peças atuais:

Aleluia - Mozart (cânone)
Além do arco-íris
André Luiz - Denize Lange Salles
Asa Branca - Luiz Gonzaga
Ave Maria - Bach/Gounod
Canção do Exílio (Minha Terra Tem Palmeiras) - Gonçalves Dias/Arr. Villa-Lobos
Carinhoso - Pixinguinha
Dona Nobis Pacem - Mozart (cânone)
Glória a Kardec - John Phillip Souza
Hino ao Espiritismo -
Jesus alegria dos homens - J. S. Bach
Luar do Sertão - Catullo da Paixão Cearense
Love is all -
Luzes da Ribalta - Chaplin
O sole mio -
Oração de São Francisco
Oração para Fabiana
Uirapuru - Jacobina
Va pensiero - Verdi

Próximas peças do repertório:

Caçador de Mim - Milton Nascimento
Canção da América - Milton Nascimento
Canto do povo de algum lugar - Caetano Veloso
Estão voltando as flores -
Planeta Água - Guilherme Arantes
Sementes do Amanhã - Gonzaguinha